Deputado critica que o presidente diz que R$600 é muito, mas concede mais de R$1 trilhão aos bancos

Marcelo Freixo, deputado do PSOL do Rio de Janeiro, criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o auxílio emergencial. Nas redes sociais, o deputado relembrou que o presidente queria pagar apenas R$ 200 no programa para a população.

De acordo com Freixo, Bolsonaro “não hesita em liberar R$ 1,2 trilhão para socorrer os bancos”. “Bolsonaro diz que o valor de R$ 600 do auxílio emergencial, proposto pela oposição (lembram que ele queria dar apenas R$ 200?), é muito, mas não hesita em liberar R$ 1,2 trilhão para socorrer os bancos. Francamente…”, escreveu ele.

Atualmente, o governo discute uma possível prorrogação do auxílio emergencial. Enquanto a prorrogação já é quase certa, o valor dela ainda causa debate. O programa deve ser estendido até dezembro de 2020. Segundo o próprio Bolsonaro, “Guedes ou alguém”, sugeriram que a prorrogação pague parcelas de R$ 200. Paulo Guedes é o ministro da Economia.

Há políticos que defendem a prorrogação a R$ 600, mas o governo afirma que não consegue continuar pagando esse valor. Ainda, há parlamentares que defendem mais uma parcela de R$ 600 e as restantes de R$ 300. Uma outra possibilidade estudada pelo governo é de que a prorrogação pode valer para um grupo menor de beneficiários, também com parcelas de menor valor. De acordo com Bolsonaro, ele busca encontrar um “meio-termo”.