Prorrogação do auxílio depende de proposta do governo para passar pelo Senado

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, disse nesta terça-feira, 18 de agosto, que está aguardando a posição oficial do governo sobre uma possível prorrogação do auxílio emergencial, que hoje paga parcelas de R$ 600. O presidente da Câmara também afirma que aguarda a criação de programa de renda básica. De acordo com ele, isso deve ser proposto para que as discussões sobre como os recursos serão pagos sejam iniciadas.

“Temos de esperar a posição oficial do governo sobre esse assunto. A gente sabe que o auxílio foi fundamental, urgente e teve um impacto muito grande para milhões de brasileiros. Nessa nova fase, o governo vai precisar apresentar sua posição em relação às condições que tem o governo federal sobre como prorrogar, em qual valor, para que a gente saiba qual impacto que isso tem nas contas públicas”, disse ele, de acordo com a Agência Brasil.

“Governo quer acabar com o seguro-defeso, o abono salarial, cortar os recursos do sistema S. O governo tem base para fazer isso? Isso é que precisa avaliar primeiro”, continuou ele. O Renda Brasil, programa que o governo pretende criar, será uma espécie de continuação do auxílio emergencial e substituto do Bolsa Família, além de acabar com os programas citados por Maia.

Maia defendeu também que o teto de gastos seja preservado.