Paulo Guedes é a favor do valor de R$247 para o novo Renda Brasil

A equipe econômica do governo Bolsonaro está estudando a forma de dar início ao programa Renda Brasil. Esse programa será uma espécie de substituto do Bolsa Família e irá entrar em cena após o fim do auxílio emergencial. Para isso, o governo estuda reformular alguns programas sociais que existem hoje.

A ideia inicial da equipe econômica do governo é que o Renda Brasil tenha o benefício médio de R$ 247 por família. Para que isso aconteça, o governo deve propor que sejam finalizados programas como o Farmácia Popular e o abono salarial.

Atualmente, a média de pagamento do Bolsa Família é de R$ 191 por domicílio. Com isso, o Renda Brasil aumentaria a média de pagamento em cerca de R$ 50 quando comparado ao Bolsa. As informações sobre esse valor foram divulgadas com exclusividade pelo jornal O Estado de S. Paulo.

O programa Renda Brasil também deve abranger mais brasileiros do que o Bolsa Família. Atualmente, o Bolsa Família atende cerca de 14,2 milhões. No novo programa, a expectativa é atender até 24 milhões de lares do país. Atualmente, o orçamento do Bolsa Família é de R$ 30 bilhões. O do Renda Brasil seria de R$ 52 bilhões.

Para repor os mais de R$ 20 bilhões que devem ser gastos, o governo defende que programas considerados ineficientes devem ser extintos. O abono salarial, que representou gasto de mais de R$ 20 bilhões neste ano, foi considerado o mais ineficiente. O Farmácia Popular tem custo de cerca de R$ 2 bilhões. O seguro-defeso, pago para pescadores artesanais nas épocas em que pescas estão proibidas, também deve ser extinto.