Cerca de 300 mil beneficiários agora poderão fazer a prova de vida através da biometria

A partir do dia 20 de agosto, 300 mil beneficiários do INSS irão participar de um projeto-piloto de prova de vida digital. O projeto acontece devido a pandemia do coronavírus 

A prova de vida será feita por um programa de biometria facial. A Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia e a Dataprev são parceiras do INSS nesse novo projeto. 

Os dados utilizados na biometria facial serão do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Por esse motivo, para a realização do teste, serão escolhidos beneficiários que tenham carteira de motorista e título de eleitor. Nos próximos dias, os primeiros segurados receberão o contato do INSS por telefone e e-mail. 

Vale salientar que, mesmo sendo um projeto-piloto, os beneficiários que participarem já terão o procedimento efetuado e não precisarão ir até uma agência realizar uma nova prova de vida.

Prova de vida pelo celular  

No novo projeto, os segurados escolhidos terão acesso exclusivo a uma nova versão dos aplicativos Meu INSS e Governo Digital (Meu gov.br) e a prova de vida será feita pela própria câmera do celular. 

O beneficiário irá passar por uma prova de vivacidade, em que será orientado a sorrir, piscar e mover o rosto para a câmera e uma prova de identidade, na qual deverá informar o número do título de eleitor ou a data de emissão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). 

Após concluir as duas etapas, o aplicativo deve indicar se a pessoa é de fato a pessoa do CPF informado no cadastramento. 

De acordo com o INSS, caso o projeto-piloto seja bem-sucedido, a ideia é que a prova de vida digital seja implementada para todos os beneficiários ainda em 2020. Atualmente, a prova de vida presencial está suspensa em todo o país em razão da pandemia do novo coronavírus.