Auxílio emergencial foi usado na maioria para comprar alimentos

O Datafolha fez uma pesquisa nos dias 11 e 12 de agosto, para verificar os hábitos de consumo dos beneficiários do auxílio emergencial. A pesquisa publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, mostrou que a maior parte dos beneficiários utilizou o benefício para comprar alimentos.

A pesquisa foi feita com 2.065 brasileiros com telefone celular de todas as regiões e estados do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Do total, 56% afirma que o auxílio não é sua única fonte de renda. Para os demais 44%, o auxílio é a única fonte.

Do total, 53% usam o dinheiro do auxílio para comprar comida. Outros 25% utilizam o valor para pagar contas. O dinheiro é utilizado por 16% para pagamento de despesas da casa, 4% para outras despesas e 1% para compra de remédio, máscara e álcool em gel.

De acordo com o Datafolha, do total de beneficiários que utiliza o dinheiro do auxílio para comida, 65% são nordestinos, 61% são mais pobres e 59% são pessoas com menos instrução.

Entre os entrevistados, 54% afirmam receber até dois salários mínimos por mês, 31% recebem mais de 2 e até 5 salários mínimos, 11% recebem mais de 5 e até 10 salários mínimos e 4% recebem mais de 10 salários mínimos e ganham o auxílio. Entre a escolaridade, 78% não possuem ensino superior completo, 54% não possuem ensino médio completo e 56% não possuem ensino fundamental completo.

Entre as regiões, a pesquisa Datafolha mostrou que o Norte, Nordeste e Centro-Oeste foram as regiões que mais receberam o auxílio. No Norte e Centro-Oeste, 50% dos entrevistaram receberam. No Nordeste, 45%, no Sudeste, 36%, e no Sul, 34%.

Avalie este artigo